blog

um site para edificação em amor.

O ARGUMENTO INFALÍVEL

O poder de um argumento bem elaborado é realmente extraordinário. E, possuí-lo, concede supremacia em meio a um debate e respeito diante de questionadores. Inserido no ambiente acadêmico da teologia, vejo constantemente alunos e professores que se esforçam em buscar argumentos que possam encerrar discussões. Todavia, já percebi que fortíssimos argumentos que, por tempos, já deixaram sábios questionadores sem palavras, conseguiram ser facilmente desconstruídos por novas premissas mais bem elaboradas.

“Cada um tem a sua verdade”, diante dessa máxima instituída na pós modernidade, argumentos sólidos elaborados por mentes brilhantes estão perdendo o seu brio, esvaindo assim o poder das palavras e tornando tolice a argumentação ou trocando a argumentação pela aceitação.

É necessário que haja uma maneira de se demonstrar a verdade com algo mais forte do que um conjunto de palavras. Toda doutrina pode ser questionada, mas uma vida exemplar é o mais forte argumento de um cristão. O argumento infalível é uma vida exemplar diante da falência do poder de um argumento em nossa sociedade.

Em toda a bíblia o cristão é encorajado a viver à altura da verdade que anuncia e não apenas ser um bom argumentador da mesma. É verdade que as pessoas sempre estarão dispostas a ouvir o que você tem a dizer quando as suas atitudes forem inquestionáveis.

Vejamos, por exemplo, o apóstolo Paulo quando foi anunciar o evangelho em Corinto. Essa era uma cidade cosmopolita e plural, onde as pessoas iam às praças para ouvir grandes filósofos e pensadores expondo suas ideias e argumentos. Sendo Paulo um homem de extrema capacidade intelectual, preferiu usar o argumento infalível. O próprio escreve aos coríntios dizendo “E a minha palavra, e a minha pregação, não consistiram em palavras persuasivas de sabedoria humana, mas em demonstração de Espírito e de poder; para que a vossa fé não se apoiasse em sabedoria dos homens, mas no poder de Deus.” 1 Co 2:4,5. A palavra grega traduzida como demonstração também significa manifestação, exibição, prova.

Contra fatos não há argumentos. Contra uma história viva não há questionamentos. Se o evangelho não se tornar um fato em nossa vida, nossos mais belos argumentos teológicos serão reduzidos a apenas mais uma opinião a respeito de Deus.

Ser cristão não é carregar uma cruz, não é pertencer a uma religião ou cumprir um conjunto de regras para merecer o céu e não ir para o inferno. Ser cristão é ser como Cristo. Os discípulos foram chamados cristãos pela primeira vez pelos gentios em Antioquia. Após serem reconhecidos como judeus e também como discípulos de Jesus, as pessoas de Antioquia veem nesses homens CRISTÃOS. Esses homens não seguiam apenas uma religião, não eram propagadores de uma nova filosofia, eles demonstravam em suas vidas o evangelho de Cristo Jesus.

“Tornem-se meus imitadores, como eu o sou de Cristo.”‭ 1 Coríntios‬ ‭11:1‬ ‭NVI‬‬. Esse é o conselho de Paulo para a igreja de Corinto que cabe como uma luva para cada cristão nos dias em que vivemos. Muito mais do que buscarmos argumentos que convençam a razão, vamos demonstrar o argumento infalível, nosso exemplo de vida. O alvo final é imitar a Cristo, é ser como Ele, viver como Ele vivia.

 

Viva Cristo,

Leonardo Capochim (Facebook)

@leocapochim (Instagram, Twitter, Snapchat)

www.sementesdefe.com

ABRACE O TEMOR

Já presenciei muitas reuniões, processos seletivos e treinamento de equipes ao longo dos anos. Esses momentos geralmente são cheios de dinâmicas, palavras de motivação, entrevistas e outras atividades de grupo ou individuais. Uma atividade que me chama a atenção é aquela em que cada participante deve falar a primeira palavra que lhe vier à mente em resposta a cada palavra proferida pelo instrutor. Por exemplo: quando o instrutor diz a palavra “amor”, já ouvi pessoas responderem “mãe”, “casamento”, “romance”, “chocolate”. Ao falar “férias” surgem respostas como “praia”, “família”, “necessidade”, “descanso”.

 

Perceba que comumente as respostas revelam associações lógicas ou emocionais existentes na mente de um indivíduo. Ao citar “felicidade”, um grande número de palavras surge em sua mente, porém é muito raro que alguém tenha pensado na palavra “temor”. Entretanto, a felicidade bíblica está associada ao temor. Ao revelar o caminho para a felicidade, o salmista estabelece o temor como uma de suas etapas.

 

Aleluia! Como é feliz o homem que teme o Senhor e tem grande prazer em seus mandamentos!

Salmos 112:1

 

O homem somente encontrará a verdadeira felicidade ao abraçar o temor do Senhor. Muitas pessoas têm encontrado dificuldade em alcançar a felicidade na vida pois não aprenderam a temer a Deus. Por mais que este seja um assunto recorrente das Sagradas Escrituras, existindo uma média de quinhentos versículos que falam a respeito dele, os cristãos confundem o que venha a ser este temor. Temer ao Senhor não é ter medo, é um respeito sublime a Ele. A palavra hebraica usada no texto pode ser traduzida como honra, reverência, admiração, respeito. Logo, o temor é um reconhecimento de quem Deus é. É reconhecer que Ele é Deus, é soberano, é senhor, é grande, é todo poderoso.

Acredito que uma grande parcela das tristezas que se alojam no coração estão ligadas a falta desse reconhecimento de que somente Deus é deus. O ser humano é, em muitos momentos, um colecionador de frustrações incoerentes. Decepções por não saber de tudo, por situações que fugiram de seu controle ou até mesmo por não conseguir realizar algo que era impossível. São escravos da tristeza pois não conseguem aceitar que não são Deus, logo, não podem fazer o que somente Deus poderia fazer. Aconselho que você leia um artigo que escrevi a uns anos atrás com o título Eu não sou Deus. Certamente irá ajudá-lo a alcançar esta verdade.

Quando o cristão abraça o temor do Senhor há uma verdade que logo lhe alcança. Ele começa a ter prazer no mandamento do Senhor. Essa verdade é totalmente contrária ao instinto humano e as filosofias presentes em nosso século. O homem não gosta de leis, mandamentos ou regras. Aquele que busca seguir fielmente a leis é taxado por muitos como bobo, manipulado, prisioneiro e infeliz. Uma pessoa pode ser perseguida em seu local de trabalho apenas por ser leal. Um dos motivos disso acontecer é a presença da rebeldia no coração do homem.

A bíblia declara que a verdadeira felicidade está em ter grande prazer na lei do Senhor. Só encontra prazer na lei aqueles que entendem o seu propósito. Quando o homem entende que todos os mandamentos que Deus estabeleceu têm como fim a preservação da vida, ele começa a se sentir livre e motivado a cumprí-los. O salmista declarou que “A lei do SENHOR é perfeita, e revigora todo o ser. As palavras que vêm do SENHOR são dignas de confiança, e transformam os mais humildes em sábios.” Sl 19.7 KJA

Se você deseja ser feliz de verdade, abrace o temor do Senhor e tenha alegria em seus mandamentos. Sua vida será inundada de refrigério e descanso. O conhecimento de Deus e de seu caráter protegerão a sua vida em meio aos desertos e vales. A vara e o cajado do Bom Pastor te guiarão em meio aos momentos de maiores tristezas e te conduzirão ao banquete e ao triunfo. A sua felicidade está intimamente ligada a sua confiança em Deus.


 

Viva Cristo,

Leo Capochim

EM 2017, SUPERE-SE

superacao

Pelo título você espera ler mais um artigo motivacional, recheado de autoajuda, com inúmeras frases de auto afirmação como “você é dono de sua própria história”, “pegue o leme da sua vida” ou “você é capaz de ir além por você mesmo”. Se esta era a sua expectativa, temo que terei de frustrá-la. Muitas pessoas têm desejo de alcançar grandes coisas e creio que não há nada de errado nisto. Precisamos crescer, realizar sonhos, concluir projetos. Tudo isso faz parte de nossa trajetória nesta terra.

A maioria concorda que a superação é essencial para que e sonhos e projetos realmente se concretizem. É necessário romper seus limites, ir além de sua história, seus medos, habilidades, ou seja, ir além de você mesmo para alcançar. São inúmeras as história de superação que lemos em livros ou assistimos em um emocionante filme. A sensação que tenho diante dessas histórias é que preciso me colocar em um ringue contra mim mesmo ou calar o mundo inteiro e aprender a ser auto-suficiente para dar certo na vida.

No entanto esses dias em minha leitura bíblica devocional me deparei com um texto que me chamou a atenção. Lucas, narrando a defesa de Pedro e João diante do Sinédrio registra: “Vendo a coragem de Pedro e de João e percebendo que eram homens comuns e sem instrução, ficaram admirados e reconheceram que eles haviam estado com Jesus. Atos‬ ‭4:13‬ ‭NVI”. A palavra grega traduzida como ousadia é parrēsia que significa liberdade de expressão, falar abertamente, francamente, ou seja, sem ocultação, sem ambiguidade ou circunlocução, sem o uso de figuras e comparações; confiança livre e destemida, coragem alegre, ousadia, segurança.

Anciãos, escribas e as demais principais autoridades do povo judeu ficaram admirados com o discurso de Pedro e João. O que causou essa admiração foi o fato deles saberem que os discípulos eram homens comuns, eram simples pescadores, ou seja, não faziam parte de nenhuma linhagem da alta sociedade. Além disso, eram iletrados, ignorantes, não estudaram nas nobres escolas rabínicas. Esses homens ordinários estavam falando de forma extraordinária. Incontestavelmente tinham alcançado uma genuína superação.

Agora, repare no texto que as principais autoridades atribuem essa mudança radical na vida destes homens a um único fato: “ficaram admirados e reconheceram que eles haviam estado com Jesus”. O segredo para a superação está na comunhão com Cristo. Pedro e João conseguiram ser alguém além do que eles poderiam ser por causa do relacionamento com Cristo.

A Bíblia não é um livro de autoajuda mas sim um manual da ajuda do alto. Se você quer viver a superação aprenda a depender de Deus e se relacionar com ele. Você não precisa entrar em contato com o seu eu, ou sentar-se no trono da sua existência, como dizem os conselheiros modernos. O caminho para ir além de você mesmo é permitir com que Cristo se assente no trono de sua vida e a governe. Reconheça Ele como o seu Senhor e Rei além de ser o seu Salvador. E, depois de tomar essa decisão, caminhe com Ele.

Pedro e João não apenas obedeciam as direções de Jesus, eles vivam ao seu lado. É impressionante o quanto a convivência com uma pessoa causa transformação. Aqueles são casados a muitos anos sabem o quão verídica é esta afirmação. Literalmente, manias, frases, gostos, gestos que eram singulares passam a ser comum aos dois. E ninguém consegue explicar como aprendeu, simplesmente acontece. Você se torna semelhante àquele com quem você convive.

Quanto mais você se relacionar com Cristo mais parecido com Ele você se tornará. Jesus é o homem perfeito, Ele é o mais alto padrão que existe para ser alcançado. Você pode ter muitos obstáculos que precisam ser superados em você mesmo para que alcance os seus sonhos, projetos e objetivos de vida. Talvez seu histórico familiar não seja o melhor, suas habilidades limitadas, seu passado conturbado, seu nível de escolaridade insuficiente para o que você almeja. Todas essas coisas se tornam ínfimas diante do poder que há em relacionar-se com Cristo.

Assim como os limites de Pedro e João foram rompidos dia a dia caminhando com Cristo ao ponto de todos ficarem admirados, da mesma forma será em sua vida. Relacionar-se com Cristo é possível e simples. Através da oração e da leitura da bíblia você está em contato com Ele. Orar não é falar sozinho e ler a bíblia não é ler um simples livro, você está em verdadeira comunhão com Deus nesses momentos. O esforço que você deve fazer não é para combater a você mesmo mas sim o dedicar-se a essas práticas cristãs. Sua mudança não está em você mesmo. Supere-se caminhando com Cristo.

Viva Cristo,

Leo Capochim

Disposição de Ananias

 

image.jpg

Existem homens e mulheres que a Bíblia relata que chamam nossa atenção. Abraão, Davi, Débora, Ester, Josué e tantos outros. A história de cada um nos motiva e impulsiona para avançarmos cada dia mais, através dos feitos de Deus por intermédio deles. 

Um homem que teve a vida completamente transformada por Jesus foi Paulo. Sua história começa a ser relatada em Atos capítulo 8, porém a primeira menção dele não foi boa. Estevão estava sendo apedrejado por muitos, e o primeiro verso do capítulo 08 diz que Saulo aprovou a morte de Estevão. 

Após esse episódio, a Bíblia relata Saulo perseguindo a Igreja de Cristo. Mas, como Cristo é misericordioso e abundante em graça, Saulo é alcançado por esse amor imerecido. Jesus se revela a ele. A partir desse momento sua vida começa a ser transformada. 

Existe um outro homem, não tão conhecido, cujo nome era Ananias. A Bíblia o descreve simplesmente como seguidor de Jesus. Podemos aprender muito com a vida de Ananias. Ele não é “famoso” quanto Paulo, mas sua vida nos deixa uma grande lição. Enquanto Saulo estava cego por três dias, Jesus diz a Ananias para se dispor e ir até Saulo, pois ele era escolhido do Senhor para Sua obra.

Ananias ficou com medo, Saulo era perigoso e portava uma carta que dava aval para prender os cristãos que encontrasse. Mesmo com medo, Ananias obedeceu a direção de Jesus e foi ao encontro de Saulo, impôs as mãos sobre ele, que voltou a enxergar e foi batizado. Saulo se torna um grande homem de Deus e passa a se chamar Paulo. 

Para Saulos se tornarem Paulos, é necessário que os Ananias se disponham. Por quantas vezes inferiorizamos pessoas por não serem populares, ou por não ser notório aos nossos olhos o que Deus faz através dessas pessoas? O desejo de crescer em Deus é algo lícito. Precisamos desejar conhecê-lo cada dia mais. O problema está em querer crescer, idealizar ser como tantos homens e mulheres que a Bíblia relata, ou que Deus tem levantado nos nossos dias, mas não nos dispormos a ajudar aqueles que se tornarão grandes Paulos. 

Precisamos entender nosso chamado. Se nosso papel é ajudar Saulos, vamos com toda ousadia nos dispor! Não menospreze suas tarefas nem a de outros. Não somos melhores ou piores, apenas temos algo específico em Cristo para cumprir. 

Se meu chamado é fazer de Saulos grandes Paulos, o farei com alegria!

:: Vanessa Capochim

Monumento a criança não nascida

Esta escultura é de autoria do jovem eslovaco Martin Hudáček conhecida como MONUMENTO AS CRIANÇAS NÃO NASCIDAS.
Ela expressa a tristeza e o pesar das mães que praticaram um aborto mas também o perdão e o amor do feto para a mãe.
A idéia surguiu de jovens mulheres, mães, que estão profundamente conscientes do valor de cada vida humana e os danos que é infligido, não apenas um desperdício de potenciais de crianças não nascidas, mas também danos mentais permanentes (por vezes física) de cada mulher que decide abortar o feto.

EU SOU A FAVOR DA VIDA!

Fonte e foto: 
http://www.martinhudacek.sk/prace/
http://www.health.gov.sk/Clanok?pomnik-nenarodenym-detom
http://www.uprait.org/index.php?option=com_content&view=article&id=1198%3Ascultura-del-bambino-non-nato&catid=348%3Abioarts&Itemid=315&lang=en

Ansiedade, um sinal

Desesperol.jpg
Lançando sobre ele toda a vossa ansiedade, porque ele tem cuidado de vós.
1 Pedro 5:7

 

Após ouvir e estudar tantas vezes sobre a ansiedade, esses dias algo novo e transformador sobre este assunto chegou ao meu entendimento. Porém, antes de falar a respeito deste algo novo, quero lembrá-lo sobre o que é a ansiedade.

Ansiedade, de acordo com o dicionário da língua portuguesa Michaelis é:  

1. Aflição, angústia, ânsia. 
2. Psicol Atitude emotiva concernente ao futuro e que se caracteriza por alternativas de medo e esperança; medo vago adquirido especialmente por generalização de estímulos. 
3. Desejo ardente ou veemente. 
4.  Impaciência, insofrimento, sofreguidão.
 

Tenho facilidade para falar sobre este assunto pois, como muitos que me leem agora, já sofri demais com ela. Talvez devido ao temperamento ou estilo de vida, não sei, mas lembro de não conseguir dormir quando sabia que ia viajar ou fazer um passeio. Lembro de andar de um lado para o outro esperando por uma notícia, de quase ficar com câimbra nas pernas de tanto balançá-las por pura inquietação ou literalmente passar mal do estômago sem ter comido nada que não devia. Você já passou por isso? É tão interessante perceber as tantas maneiras que a ansiedade tem de se manifestar em cada pessoa. Algumas roem as unhas, tiram e colocam os sapatos, mordem a bochecha, é uma verdadeira loucura.

Porém, independente da forma como ela se manifesta, todos podem concordar que nada disso consegue aliviar esta sensação ou mudar a situação que a está causando. 

A RAIZ DA ANSIEDADE

A despeito das variadas manifestações, a raiz da ansiedade é uma só: o orgulho. 

As pessoas ficam ansiosas quando estão em uma situação em que elas sabem que não podem resolver mas não se conformam em não terem essa capacidade. Logo, se fecham em uma tempestade de pensamentos tentando achar uma saída.

A confiança plena em Deus é a cura para toda a ansiedade. O apóstolo Pedro encoraja a deixar nas mãos de Deus todas as situações que levam a ansiedade. Você só deixa uma tarefa nas mãos de outra pessoa se confia que ela é capaz de cumpri-la. O que atrapalha a vida não são os problemas mas a falta de confiança em Deus. 

A ansiedade, então, é um sinal que a situação que a está fomentando é trabalho de Deus e não seu. Todas as vezes que você se sentir ansioso em relação a qualquer coisa, rapidamente coloque isso nas mãos de Deus pois se você tentar resolver do seu jeito isso se tornará em um círculo sem fim, um rodear de deserto.

Veja Deus como o TODO PODEROSO pois ELE É verdadeiramente aquele que pode todas as coisas.

COLOQUE EM ORDEM AS COISAS RESTANTES

Transient

por Pr. Márcio Valadão
Culto das 18h na IBL dia 20/10/2013

TITO 1.5
A carta aos Efesios não é uma carta de correção, é uma carta de modelo. Trás o modelo de como devemos viver e nos portar.


Interceda pela restauração de:
1. VISÃO
Efesios 3.21
"A Ele seja a glória."
Nós estamos aqui para a glória de Deus. Tudo o que fazemos, deve ser feito para a glória de Deus.
O pecado destituiu o homem da glória de Deus. Fez o homem perder o foco da glória de Deus e viver apenas para si.
Tudo o que Jesus fez foi para a glória de Deus. Ele não buscou a sua própria glória, mas a glória do Pai.

2. CHEFIA
Efesios 1.22,23
Cristo nosso Senhor
Cristo tem autoridade sobre tudo e todos.

3. VERDADE
Efesios 1.17-19
Conhecimento de Deus através da Sua Palavra.

4. FÉ
Efesios 3.12
Inteira confiança em Deus.
Efesios 3.17
Nós não vivemos por sentimentos, vivemos por fé e fé na Palavra de Deus.

5. OBEDIÊNCIA
Efesios 4.1
Não apenas ouvintes mas praticantes.
Efesios 4.17,18
A obediência é quando o nosso coração é mole, maleável. Uma obediência que flui por amor.

6. ADORAÇÃO
Efesios 5.18-20
Jorrar um incondicional amor a Deus.

7. ORAÇÃO
Efesios 6.18
Pedi, buscai, batei, recebe.
Orar sem cessar é você não desligar Dele, manter a comunhão firme nos momentos do dia a dia.

8. ARREPENDIMENTO
Efesios 4.22-27
Admitir, confessar, voltar-se, restituir.
Todo o pecado não confessado e não abandonado é uma porta aberta para satanás.

9. COMPROMISSO
Efesios 5.1,2
Entregar o corpo e o espirito.
Efesios 5.15,16

10. ORDEM DIVINA
Efesios 4.11,12
A igreja - ministérios

Efesios 5.22
Efesios 5.25
Efesios 6.1,2
Efesios 6.4
A família, esposas, maridos, filhos e pais.
Cristo, cabeça do homem;
Homem, cabeça da mulher;
Pais, cabeça dos filhos;
Filhos, em obediência aos pais, não são cabeça.

Efesios 6.5
Efesios 6.9
Mercado de trabalho - empregados, empregadores.

11. AMOR
Efesios 3.19
Coração dedicado e amor a Deus e aos outros.
Cada dia que vivemos é uma dádiva do amor de Deus.

12. OFERECENDO
Efesios 2.10
De si mesmo, tempo e bens.

13. PAZ
Efesios 2.14
Libertação do medo.

14. JUSTIÇA
Efesios 5.8-10
Integridade de coração e ação.

15. SANTIDADE
Efesios 1.4
Amando a justiça e odiando a iniquidade.

16. PODER
Efesios 3.16-19
Energia divina.

17. ZELO
Efesios 6.11,12
Entusiasmo de origem divina.

18. MISSÃO
Efesios 6.19,20
Resultado da visão dada por Deus.

19. UNIDADE
Efesios 4.3-6
Todos de acordo.

20. DOXOLOGIA
Efesios 6.24
A graça seja com todos os que amam sinceramente o nosso Senhor Jesus Cristo.

Paz, sinal da direção divina

Seja a paz de Cristo o árbitro em vosso coração, à qual, também, fostes chamados em um só corpo; e sede agradecidos.
Colossenses 3:15

paz.jpg

Todo cristão que decide viver a vontade de Deus se depara com o seguinte questionamento: "Como saberei qual é a vontade de Deus diante de uma situação?" 

A resposta a este questionamento tem sido o motivador de muitos líderes da igreja ao elaborarem seus sermões, livros, estudos de células e outros. Desses, muitas respostas tem surgido e muito esclarecimento já tem chegado a igreja. Um dos pontos que a maioria deles concorda é em relação a paz no coração. Muitas vezes já fui aconselhado e aconselhei pessoas a prestarem mais atenção ao seu coração e  discernirem se existia paz para tomar a decisão na situação apresentada.

Este conselho está baseado no texto que inseri no início deste post onde o apóstolo Paulo declara que a paz de Cristo é o árbitro em nosso coração. Você sabe o que quer dizer árbitro? A palavra no original grego é brabeuo  que quer dizer atuar como árbitro, decidir, determinar, dirigir, controlar, ordenar. A paz de Cristo no coração dirige, controla, decide, e é simplesmente imprescindível para ajudar a determinar qual é a vontade de Deus nas situações do dia a dia.

Quando há paz no coração é possível seguir em frente. Uma vez que a paz ajuda a discernir qual é a vontade de Deus, ela também leva a viver aquilo que é bom, agradável e perfeito, e é exatamente isso que todos buscam viver.

Como saber se tenho essa paz? 

Onde há a paz de Cristo, não há confusão

porque Deus não é de confusão, e sim de paz. 1 Coríntios 14.33a

Confusão fala de instabilidade, desordem e distúrbio. Uma direção de Deus não vem com "bipolaridade" : em um momento Deus falou uma coisa, daqui a poucos dias falou outra totalmente diferente, depois a pessoa nem sabe mais se foi Deus quem falou mas acha que deve ser. Essa instabilidade revela a falta de uma palavra de Deus no coração. Quando Deus realmente fala com você, toda confusão e instabilidade é aniquilada em seu coração dando lugar a paz. Paz é estar seguro, tranquilo. A voz de Deus é poderosa para instaurar em seu coração uma certeza que supera toda dúvida e segundas opções.

A paz de Cristo é incomprensível

E a paz de Deus, que excede todo o entendimento, guardará o vosso coração e a vossa mente em Cristo Jesus. Filipenses 4.7

A paz de Deus leva você simplesmente a saber qual decisão tomar mesmo sem conseguir entender a lógica da decisão ou o porque desse caminho, proposto em seu coração, te trazer tanta tranquilidade. 

Como cristãos, não devemos tomar decisões ilógicas. Mas muitas vezes seremos guiados a decisões alógicas, que vão além da razão e do entendimento. Aqui é o momento onde você será desafiado a andar por fé , a simplesmente confiar na paz de Cristo em seu coração.

Essa mesma paz também é responsável por guardar a sua mente e os seus sentimentos.  Você precisará desta proteção pois sempre o caminho de Deus é uma via invisível na contramão do mundo.

Se a decisão que existe em seu coração é ausente de confusão, instabilidade e é talvez incompreensível para a sua mente mas com certeza trás segurança, alegria e sentimento de completude incomum, essa é provavelmente a direção de Deus para a sua vida. 

Peça a Deus que te ajude a sondar o seu coração e te dar discernimento.  Que no seu dia a dia haja sempre em seu coração a paz de Cristo.

 

Viva Cristo,
Léo Capochim

 


Protesto: rebeldia ou direito?

Temos visto em nossa nação essa semana uma onda de protestos. Questões como o combate a corrupção, melhorias no transporte, educação, saúde e outras questões tem sido levantadas nesses dias. Os cristãos nas redes sociais e nas ruas também tem se manifestado. No entanto, de um outro lado temos cristãos sinceros que tem defendido que tais protestos saem da zona de submissão que um cristão precisa ter a autoridade. Seria então o protesto um ato de rebelião? 
    Creio que essa confusão pode ser desfeita ao entender o aspecto de que o Brasil é um país debaixo do estado democrático de direito. A Constituição da República Federativa do Brasil promulgada em 5 de outubro de 1988 prevê esta condição. De uma forma bem objetiva, o estado democrático de direito é aquele no qual os mandatários políticos (na democracia: os eleitos) são submissos às leis promulgadas. Ou seja, o estado de direito é aquele que vigora o império da lei. A lei está assim acima da autoridade de uma pessoa. Quando, por exemplo, a presidenta Dilma assume o seu cargo ela concorda e se compromete com esse estado de direito. Na verdade ela mesma está assumindo, comprometendo-se e concordando com esse estado democrático de direito no qual permite manifestações pacificas que visem promover o mesmo. Em nossa Constituição é previsto que o povo possa declarar e se manifestar de forma livre a respeito de seus anseios que fazem coerência com a Constituição. Quem se expõe a ser cidadão brasileiro a principio se coloca a obedecer a Constituição seja essa pessoa prefeito, governador, empresário, presidente, rico ou pobre. Porque a maior autoridade do Brasil não é uma pessoa, mas a Constituição.     

    Então como pode haver rebeldia se a própria presidenta concordou que pode haver a manifestação? Se um pai sendo autoridade, por exemplo, deu a seus três filhos a liberdade e autorização para reclamar se algo os falta como isso seria rebeldia? Por estes dias a própria presidenta num discurso em Brasilia deu uma declaração de apoio as manifestações porque ela sabe que antes de assumir o seu cargo estava autorizando as mesmas. Como cristãos temos assim liberdade para protestar sobre questões que ferem a maior autoridade do Brasil que é a Constituição. No entanto, vale ressaltar, sem partir para ofensa pessoal e o desrespeito a pessoa Dilma como vemos infelizmente cristãos que fazendo assim erram.         

    Nós cristãos temos uma lema: amamos as pessoas, mas não amamos o pecado. Honramos e respeitamos o indivíduo mas não apreciamos seus erros. Como a bíblia diz, honre seu líder e se sujeite a autoridade. Essa postura no entanto não nos exime de nos posicionar quando algo está errado. E no caso de nossa nação isso foi aceito e concordado pelas autoridades que assim o fosse feito.       Biblicamente quando um governo é claramente arbitrário existem exemplos de posicionamento contrário aos líderes. A autoridade de Faráo, por exemplo, abrigou e alimentou o povo de Israel. Mas depois a liderança de Faraó se tornou um jugo opressor de escravidão. Moisés foi levantado e foi contra o que estava acontecendo se colocando assim em oposição a esta liderança. Quando Faraó ordenou que as parteiras hebreias matassem os meninos que nascessem, elas se recusaram a obedecer (Êx 1.17). João Batista protestou contra a promiscuidade do Rei Herodes (Mt 14.3-5). Quando o rei Nabucodonosor emitiu um decreto de que todos os seus súditos deveriam prostrar-se e adorar sua imagem de ouro, Sadraque, Mesaque e Abede-nego recusaram-se a obedecer (Dn 3). Quando o rei Dario emitiu um decreto de que por 30 dias ninguém deveria orar “a qualquer deus ou a qualquer homem”, exceto a ele mesmo, Daniel recusou-se a obedecer (Dn 6.7). Nesses dois exemplos finais, o ato desses homens foi um protesto manifesto e claro a todo povo de que o que o rei estava fazendo era errado. Mas alguém pode dizer mas isso ia contra a adoração do Senhor e Sua Palavra. Mas a corrupção vigente no Brasil também não é?        
    Nossa missão é levar pessoas a Cristo, mas a mesma não exclui nossa ação de levar os princípios do Reino para a esfera do governo terreno. Mesmo em meios a vandalismo e violência que ferem a autoridade constitucional podemos fazer a diferença com nossa postura focada em ser benção para nossa nação. Oremos mas não deixemos de nos posicionar a respeito de tudo que vai contra a nossa maior constituição, em nosso caso chamada: Bíblia. 

por Drummond Lacerda
http://www.ventonofogo.com/

Transient

A baderna de Deus e a baderna dos homens

No princípio foi disso que a chamaram: “baderna!” Foi assim que a “imprensa vendida” descreveu o movimento. Mas enquanto ela subestimava o povo um sopro de expectativas varreu as redes sociais, insuflando chamas de esperança em alguns, causando arrepios de indignação e desprezo entre outros. Conservadores só viam a baderna e as bandeiras do PSOL, do PSTU e do PCO; a juventude à esquerda viu um futuro, um sentido, um sinal de que estamos vivos e que coisas novas podem acontecer.

“Mas veja bem” – foi a reação imediata de alguns – somos Cristãos. Ordeiros. E “Deus não é deus de confusão” – não é assim que o apóstolo Paulo escreveu em uma de suas cartas? Todos nós sabemos disso. Todos nós, evangelicais ou reformados; só a esquerda e os “pentecostais” é que não sabem. Crente não se mete em confusão!

Mentira. Quanto crente estava lá, nas redes sociais, nos blogs, no twitter, chamando todo mundo para descer pra rua? Desceu foi muita gente: abeuenses, Rede Fale, missões urbanas, a turma underground, membros da minha igreja, o líder do departamento de educação cristã, até a minha mulher queria descer, e não foi porque não podia mesmo. E tinha pastor também: batista, presbiteriano, pentecostal, e quem não foi ficou é orando pela manifestação, tentando entender o que se passava. O filho do pastor Antônio Carlos, do Rio de Paz, acabou preso injustamente. Torceram o nariz uns poucos, e mesmo assim porque acharam que era coisa da esquerda (e não era coisa nenhuma; as esquerdas estão como baratas tontas). E se um pastor quer apoiar, vai ter que se explicar, não é? E a explicação é evidente:

Jesus também fez baderna

Foi especialmente entre os novos pastores urbanos como o Ariovaldo Jr. que surgiu o argumento de que Jesus também fez baderna. Não é isso afinal o que os evangelistas nos contaram, sobre Jesus entrando no templo com um azorrague de cordas e descendo o cacete em cima dos cambistas e vendilhões que haviam tomado o pátio dos gentios (Mt 21.12,13)? Se isso não é baderna, o que é então?

Tente imaginar a cena e não virá à sua mente outra coisa senão uma bela confusão de moedas quicando, mesas virando, animais fugindo, gente correndo e gritando palavrões numa santíssima baderna. Com um pouco mais de imaginação, mentalize no lugar dos cambistas em debandada a corja de pastores-e-apóstolos-da-prosperidade gritando “misericórdia” diante do chicote de nosso bondoso Senhor, e você abrirá um sorriso de prazer.

E assim alguns tipos mais entusiasmados e mais anarquistas, entre nossos queridos irmãos, deram de falar que Jesus vandalizou o templo! Jesus vandalizou porque o sistema era injusto, e é legítimo vandalizar para expressar nossa indignação contra o mal. Jesus tocou o terror.

Sim, Jesus vandalizou o templo!

Não, Jesus não fez nada disso. Não na minha Bíblia. Jesus não realizou um ato brutal, resultante dainversão moral descrita por Michael Polanyi – a canalização dos afetos morais reprimidos, num contexto de desconstrução moral e ausência de valores internalizados, para uma explosão de paixões revolucionárias. Jesus não era um jovem revoltado e ressentido, um invertido moral louco para destruir alguma coisa. Jesus realizou um ato profundamente teológico; e enquanto chicoteava vendilhões e chutava mesas, gritava suas palavras de ordem: “A casa do Senhor é de oração! Na sua mão virou buraco de ladrão!”

Jesus sabia o que fazia, e porque o fazia. E ele sabia muito bem onde estava o problema: o problema era o clero saduceu, a casta de sacerdotes que dominava o culto no templo e que enriquecia com a exploração da religião. Cegos de ganância, os senhores do templo profanaram o espaço reservado aos gentios para lucrar um pouquinho mais. Tomavam com isso o nome do Senhor em vão, profanando-o exatamente diante dos gentios, traindo a vocação missionária de Israel. Eles transformaram o templo em um covil de salteadores.

Então Jesus vandalizou o vandalismo

Veja bem: Jesus não vandalizou o templo; Jesus purificou o templo, que era o meio divino de culto. Jesus começou a consertar o que estava quebrado, ainda que apenas numa antecipação simbólica, já que o templo era temporário e provisório; ele começou a lavar o lugar daquela gente vendida e daquele dinheiro sujo, botando os vândalos para correr.

Vândalos eram os sacerdotes, o partido saduceu e a maioria do sinédrio, e não Jesus. O nosso Senhor vandalizou o vandalismo do templo, e derramou sua ira junto com suas orações. Jesus pregava enquanto chicoteava, e corria com os baderneiros. Pois a baderna dos homens é que estava no poder.

A baderna está no poder

A baderna é de quem toma o nome de Deus em vão e usa a autoridade de Deus contra o reino de Deus. A baderna é um partido institucionalizado para a exploração, uma cosa nostra, uma retórica, uma verdadeira tradição de baderna. Jesus despojou e triunfou na cruz sobre esse baderneiros cósmicos, tanto celestiais quanto terrenos, para trazer a sua Shalom, a grande reconciliação. Mas essa reconciliação de Jesus não é pacífica, não. Ela é sacrificial, mas não é pacífica. O Cordeiro é o leão; os pés furados de pregos pisarão “o lagar do vinho do furor da ira do Deus todo-poderoso”, e ele mesmo preparará “a grande ceia de Deus” para as aves do céu – é o que diz o livro do Apocalipse. Esses vândalos não perdem por esperar.

A baderna de Deus e a baderna dos homens

Mas enquanto isso o vandalismo institucional não demora a tomar suas providências! O que fazer com esse desordeiro chamado Jesus? É claro que para quem explora o templo de Deus – seja na religião, seja na política – Jesus é a encarnação da baderna. Jesus é a desordem, o conflito, a anomia. Jesus precisa ser preso, processado. Esses elementos marginais colocam em risco a estabilidade do estado, fragilizam a ordem. Jesus é claramente mais um desses desordeiros, começando outra sedição. O Desembargador age rápido, pelo bem da pax romana, e de uma canetada dá um jeito em Jesus!

Certamente isso não iria funcionar, nem com canetada, nem com detenção, nem com crucificação, execução e enterro de Jesus. Porque ele logo ressuscitaria dos mortos, e assim a baderna de Deus virava o mundo romano do avesso. Pois para os homens, como o disse o apóstolo Paulo, Deus parece louco. Mas a loucura de Deus é mais sábia do que a filosofia dos homens, e a fraqueza de Deus é mais forte do que a força dos homens, e a baderna de Deus é mais ordenada que a política dos homens. A baderna de Deus quebrou o selo romano e é a certeza de que sua Shalom será vitoriosa sobre a baderna dos homens.

Mas onde está essa baderna de Deus?

Pergunta crucial, pois nem toda baderna é a baderna de Deus. A baderna de Deus caminha o caminho da cruz. De vez em quando ela nos fará derrubar as mesas de alguns cambistas. Mas os protestos de Jesus estão no final de uma longa jornada de cura, de serviço, de oposição sólida e racional ao sistema político saduceu, vendido e mancomunado com os romanos, à falsa religião dos sepulcros caiados fariseus, e aos zelotes anarcopunks. Jesus não estava do lado de ninguém, exceto de Deus e dos pecadores. Jesus não é revolucionário, nem conservador, nem anarquista. Jesus é o salvador e o juiz das ideologias dos homens, e não veio chamar justos, mas pecadores ao arrependimento.

O problema é que de longe, Jesus se confunde na multidão. Visto lá do alto, do trono do governador, da cadeira de Moisés, do pináculo do templo, Jesus é mais um judeu revoltado e desajustado, Jesus é a ilegalidade. Jesus emerge do caos, e precisa ser mandado de volta pra lá. Jesus parece ser um representante da outra baderna humana, a baderna da oposição subversiva. E por isso também os revolucionários ficam confusos e acham que Jesus é da militância, que Jesus éQueer, que Jesus é punk, ou qualquer coisa politicamente correta, qualquer coisa que alimente o seu senso de justiça própria, que compense as dores de sua pobreza moral, que te faça “sonhar com um mundo melhor” enquanto sua vida interior está um lixo.

Mas a baderna de Deus não é a turba insatisfeita, seja ela a turba que vandaliza o próprio templo, e as próprias coisas que deveriam ser reformadas e purificadas, seja a turba pacífica que “acordou” para protestar mas nunca acordou dos ídolos modernos do estado, do consumo, e da ampliação infinita dos direitos individuais. A baderna de Jesus nasce no meio do povo, mas não é a baderna conservadora nem a baderna revolucionária.

Vemprarua# Jesus!

Jesus vem pra rua sim, mas seu caminho não é o caminho fácil. Na verdade ele já veio e já foi, e deixou um caminho aberto. Seu caminho é longo e difícil, e nos colocará contra a turba. A turba aclamou Jesus na entrada de Jerusalém, mas depois trocou Jesus por Barrabás.

Ah crentes ingênuos! Acreditam que o reino de Deus é a turba! O reino está no meio de nós, e está na turba, e anda no meio da turba, mas não é a turba, nunca foi e nunca será. O reino de Deus é o juízo de todos, saduceus, fariseus, romanos, e até dos pobres trabalhadores judeus de Jerusalém. A turba às vezes acerta, especialmente quando está com fome e com sede, quando precisa de cura, e quando precisa de um “pastor”. Mas logo tenta fazer de Jesus o seu rei, não por que entende seus milagres, mas porque quer mais pão, como o evangelista João escreveu. Ou mais direitos individuais, como João escreveria hoje.

No entanto Jesus é um marginal diante do estado e também diante da turba. E quando você, Cristão, erguer a sua voz para falar em nome da justiça integral – não apenas contra a pobreza, mas contra o ideal moderno-revolucionário, e não apenas contra a injustiça social, mas também contra a idolatria estatal, e não apenas contra os caudilhos evangélicos, mas também contra a massiva revolução da política sexual hipermoderna, e quando assumir em público a sua identidade cristã inteira e organizar sua vida inteira, incluindo sua carreira e seus divertimentos em torno do evangelho, então você se descobrirá carregando uma pesada cruz, sendo cuspido pelos antigos correligionários.

Mas ainda assim Jesus morreu em favor da turba. Jesus teve misericórdia dela. Saiba, Cristão, que não está em seu poder abraçar a turba, nem cuspir a turba. Esqueça o que a turba pensará de você; fuja da turba quando ela quiser arrebatá-lo para fazer de você rei. Sirva a turba mas não seja seduzido por ela.

A baderna boa, perfeita e agradável

“Mas eu quero fazer história já, e agora!” Eu sei, eu quero também. Vá e faça história. Proteste. Viva o melhor da baderna atual. Misture-se com a turba. Mas saiba que ela tem um pouco de Jerusalém e um pouco de Babel, um pouco de cidade de Deus e um pouco da cidade dos homens.

Ela é divina porque fala a verdade, que o sistema político atual não representa o povo que pensa. E por isso o povo que pensa quer contornar a política partidária. Por isso estão arrancando as bandeiras do PSOL, do PSTU e vaiando a juventude petista. Por isso os setores ideológicos estão desesperados tentando gerenciar o movimento para capitalizar sobre o processo, mas sem sucesso até agora (mas talvez tenham algum sucesso, e então podemos ter uma pequena “revolução cultural”).

Talvez o povo deseje, sem saber dizê-lo com precisão, uma ampla reforma política. O sistema ficou velho, não funciona, não representa. Não se trata só do passe livre, ou apenas do Fora Lacerda, ou dos custos da copa, ou do padrão Fifa para todos, ou da indignação geral com a corrupção, mas de um desejo de fazer política diretamente, contornando os atravessadores e apertando o estado pelo pescoço. A esquerda e a direita estão mentindo sobre isso, e é preciso esfregar essa realidade na cara dos infiltrados. Já me chamaram de esnobe por dizer que a esquerda e a direita partidária não me representam. Pois digam isso agora ao povo.

Parodiando Paulo, se essa é a sua baderna, então é uma baderna boa, perfeita e agradável. Enfrente a rua, corra o risco de apanhar injustamente da polícia. Enfrente a baderna humana dos vândalos que destroem o patrimônio público, mas acima de tudo a baderna política institucionalizada que destrói a república. Recuse a cooptação pela esquerda radical ou pelo governo. Vandalize o vandalismo sem se tornar vândalo.

Mas ao mergulhar no movimento, se for levado pelo Senhor diante das quimeras plurais que “coordenam” as manifestações em cada cidade, e que ajuntam esses mosaicos de insatisfações urbanas – reunindo quem sabe porque protesta e quem não sabe porque protesta, quem é politizado e quem é apartidário, quem é anarcopunk, quem ama e quem odeia o cristianismo, quem é de paz e quem é vândalo, os reacionários e os invertidos morais revolucionários – respire fundo e peça a Deus por sabedoria, pois você verá o choque da baderna de Deus com a baderna dos homens.

Mas isso também é bom; Jesus orou para livrar você do mal, e não para tirar você do mundo. A turba precisa de sua presença, do seu serviço e de sua cruz. Não é tempo de iludir-se com um movimento tão desfocado e carente de objetivos realizáveis (afinal, “é muito mais do que 20 centavos”). Menos ainda de ficar assistindo ou cuspindo palavras de desprezo. Você, que é Cristão, você sabe melhor. Você não sonha com o reino terreno das velhas e novas esquerdas, nem com memes de facebook, nem acredita que swarming é suficiente para transformar um país; tampouco é um acomodado chafurdado no sistema de consumo e esperando morrer para ir para o céu. Você não é utópico mas também não é cínico, porque você tem esperança, que é algo muito maior e mais sólido. Então, se quiser ajudar ao invés de virar massa de manobra, tome a sua cruz e plante a baderna de Deus no meio dessa baderna humana.

por Guilherme de Carvalho

Extraído de http://www.ultimato.com.br/  

OR(AÇÃO) BRASIL

"E procurai a paz da cidade, para onde vos fiz transportar em cativeiro, e orai por ela ao SENHOR; porque na sua paz vós tereis paz. " Jeremias 29:7

PAZ (SHALOM)

1) integralidade, solidez, bem-estar, a paz

a) integralidade (em número)

b) a segurança, solidez (no corpo)

c) Bem-estar, saúde, prosperidade

d) a paz, calma, tranqüilidade, contentamento

e) a paz, a amizade

Neste texto existem duas atitudes que devem ser tomadas. Buscar a paz e orar.

Temos orado como igreja a muitos anos para que o Brasil seja um país melhor, para que o povo seja despertado. Agora que o povo está acordando vamos recuar? 

Sou totalmente CONTRA A VIOLÊNCIA. 

Sou totalmente a favor da EXPRESSÃO PÚBLICA DA OPINIÃO. 

Sou totalmente a favor de uma IGREJA CIDADÃ. 

Sou totalmente a favor de uma IGREJA QUE ORA. 

Sou totalmente a favor de uma IGREJA QUE AGE.

site-brasil.jpg

Dificuldade, isso é de Deus?

dificuldade

“Tenho-vos dito estas coisas, para que em mim tenhais paz. No mundo tereis tribulações; mas tende bom ânimo, eu venci o mundo.” (João 16.33.) O novo nascimento não nos isenta das dificuldades como alguns acreditam, mas também não nos insere num mar de adversidades como muitos creem. Na verdade, a questão de nos tornarmos filhos de Deus simplesmente nos faz grandes o suficiente em Cristo para derrotá-las. É por isso que o apóstolo Paulo disse com grande convicção: “Posso todas as coisas naquele que me fortalece.” (Filipenses 4.13.) No verso anterior do mesmo capítulo, ele também afirmara, e convicto: “Sei passar falta, e sei também ter abundância; em toda maneira e em todas as coisas estou experimentado, tanto em ter fartura, como em passar fome; tanto em ter abundância, como em padecer necessidade.” Paulo aprendeu a ser mais que vencedor em todas as situações.

O justo também passa por dificuldades. O justo é também afligido não por ter pecado, mas por causa do pecado no mundo (Romanos 8.19-23). O próprio Jesus, quando clamou ao Pai pelos discípulos e por cada um dos que seriam seus filhos – incluindo eu e você – para que não fôssemos tirados do mundo, mas para que nos livrasse do mal. O fato de estar passando por dificuldade não o torna mais ou menos justo. Você está no mundo. O salmista foi muito claro: “Muitas são as aflições do justo, mas o Senhor de todas o livra.” (Sl 34.19.)

Muitos tendem a fazer das dificuldades o “termômetro divino da vontade de Deus”, ou seja, se tudo estiver bem,“é de Deus!”, mas se há problemas e dificuldades, “não é de Deus!” Esse é outro extremo terrível. Nos capítulos 13 e 14 de Números lemos acerca do momento em que doze espias foram enviados à Terra Prometida para sondarem-na. Dez deles retornaram com um relatório negativo por causa das dificuldades encontradas. O gigante era um deles. Viveremos melhor a vida cristã se entendermos que as circunstâncias não ditam a nossa vida, não guiam os nossos passos e não determinam o nosso futuro. O que determina tudo na nossa vida é a PALAVRA DE DEUS! Descanse na fidelidade de Deus! Tenha bom ânimo! Ele venceu, logo, nós também vencemos, pois a vitória dele é a nossa vitória! “Mas graça a Deus, que nos dá a vitória por nosso Senhor Jesus Cristo.” (1Co 15.57.)

CONFLITO DE SABERES

conflitosaberes

“E mesmo agora sei que tudo quanto pedires a Deus, Deus to concederá. Respondeu-lhe Jesus: Teu irmão há de ressurgir. Disse-lhe Marta: Sei que ele há de ressurgir na ressurreição, no último dia.” João 11.22-24

Ao ler esse texto talvez você faça como muitos, condena Marta e pensa: “Incrédula! Será que ela não sabia que estava falando com Jesus, o Filho de Deus?”

Esta parte da história de Marta retrata como muitas vezes nós reagimos as promessas que Deus nos diz. Tenho certeza que você, como eu, irá se identificar de uma forma tão profunda com Marta, mas também irá aprender a reagir da forma certa.

Marta aqui está passando, talvez, por uma das situações mais difíceis de sua vida. Seu irmão Lázaro, após uma grave doença, havia morrido. Ela, como uma boa crente em Jesus, ao ver seu irmão doente logo mandou chamá-lo. Ela sabia que se Jesus viesse até Lázaro tudo poderia mudar, aquela doença seria aniquilada e seu irmão seria curado. Mas, por um momento, parece que Jesus não deu muita importância ao pedido dela e continuou sua caminhada com os discípulos. Por causa dessa demora (de acordo com o entendimento de Marta) ocorre uma fatalidade: seu irmão morre e é sepultado conforme os costumes da época. Encorajo você a ler todo o capítulo 11 do evangelho de João, que trás muitos ensinamentos de Deus.

No quarto dia após o sepultamento de seu irmão chega Jesus. Marta não perde tempo e na mesma hora expõe seu pensamento a Jesus: “Senhor, se tu estivesses aqui meu irmão não teria morrido.” Ela conhecia o poder de Jesus, já o tinha visto operar milagres. E ela continua seu discurso afirmando “E mesmo agora sei que tudo quanto pedires a Deus, Deus to concederá.” Ela sabia que não havia limites para Jesus, para Ele não haveria impossíveis. Mas aqui vemos algo muito interessante, ao ouvir da boca de Jesus que Lázaro haveria de ressuscitar, automaticamente ela transfere essa fé ou essa palavra para um tempo futuro. Marta entende como um consolo e transfere para uma promessa global e não individual.

Na mente de Marta agora vemos um conflito que acontece com todos nós dia após dia que eu chamo CONFLITO DE SABERES.

Ao mesmo tempo que sabemos que Jesus pode fazer, na nossa mente há um outro saber nos dizendo que Ele fará realmente quando chegarmos ao céu. Temos dificuldade de saber que as promessas de Deus são para nós hoje.

Como Marta, não temos dificuldade em crer no poder de Jesus, em conhecer Seu ilimitado poder e saber que para Ele não há impossíveis. Mas temos dificuldade de aplicar isso em nossa vida diária, entramos num grande conflito quando temos de saber que isso é para nós hoje. Sabemos que Jesus pode mas não sabemos se Ele vai fazer por nós. Confiamos plenamente no Seu poder, mas não confiamos em Sua fidelidade e amor.

Eu e você precisamos entender de uma vez por todas que Deus é o mesmo ontem, hoje e sempre. Jesus não estava trazendo um conforto a Marta, Ele estava trazendo uma verdade divina, algo que poderia acabar de uma vez por todas com o sofrimento dela. Era a garantia de uma intervenção divina na situação caótica em que ela se encontrava.

Diferente de Marta nós devemos calar todo saber que nos afasta de viver a promessa de Deus hoje e firmar nossa fé no SOCORRO BEM PRESENTE NA HORA DA ANGÚSTIA.

“e, se sabemos que nos ouve em tudo o que pedimos, sabemos que já alcançamos as coisas que lhe temos pedido.” 1 João 5.15

No stress!

nostress

"Não estejais inquietos por coisa alguma; antes as vossas petições sejam em tudo conhecidas diante de Deus pela oração e súplica, com ação de graças." Fil 4:6

Ao lermos esse texto, normalmente somos tentados a achar que é algo impossível de acontecer. Na sociedade em que vivemos hoje, tão acelerada, onde um bom profissional não é mais aquele que tem uma especialidade mas aquele que independente da sua especialiadade consegue exercer várias funções ao mesmo tempo, vivemos sem ansiedade é quase uma utopia.

Porém a Palavra de Deus tem a resposta e o caminho para esse grande desafio:

1. Nascemos de novo

João 1:12,13 "Mas, a todos quantos o receberam, deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus, aos que crêem no seu nome; 13 Os quais não nasceram do sangue, nem da vontade da carne, nem da vontade do homem, mas de Deus."

II Coríntios 5:17 "Assim que, se alguém está em Cristo, nova criatura é; as coisas velhas já passaram; eis que tudo se fez novo."

Hebreus 10:14-17 "16 Esta é a aliança que farei com eles Depois daqueles dias, diz o Senhor: Porei as minhas leis em seus corações, E as escreverei em seus entendimentos; acrescenta: 17 E jamais me lembrarei de seus pecados e de suas iniqüidades."

Romanos 8:1 "PORTANTO, agora nenhuma condenação há para os que estão em Cristo Jesus, que não andam segundo a carne, mas segundo o Espírito."

Durante anos temos visto que pessoas tem perdido o seu sono pois não conseguem se livrar da ansiedade trazida pelo passado. Liberte-se dessa ansiedade.

Nascer de novo significa viver uma nova vida. O velho homem morreu, com seus delitos. Um morto não pode ser condenado pelo que fez ou deixou de fazer. Um dos maiores privilégios que temos por ter nascido de novo é realmente poder viver uma nova vida como se a antiga não existisse mais pois diante de Deus ela realmente não existe.

Seja bem vindo a "terra do começar de novo". Muitas pessoas pensam ser impossível começar de novo, mas como o nosso Deus é o Deus do impossível, Ele nos concedeu este privilégio, de graça.

Não permita que residam em você memórias que trazem um peso de um sentença que já foi paga. Ninguém pode pagar por algo que já foi pago.

2. Temos um Pai

Mateus 6:31-34 "Não andeis, pois, inquietos, dizendo: Que comeremos, ou que beberemos, ou com que nos vestiremos? 32 (Porque todas estas coisas os gentios procuram). De certo vosso Pai celestial bem sabe que necessitais de todas estas coisas; 33 Mas, buscai primeiro o reino de Deus, e a sua justiça, e todas estas coisas vos serão acrescentadas. 34 Não vos inquieteis, pois, pelo dia de amanhã, porque o dia de amanhã cuidará de si mesmo. Basta a cada dia o seu mal."

João 17:15 "Não peço que os tires do mundo, mas que os livres do mal."

Não nos inquietamos com as coisas básicas da vida, do dia a dia. Quando você era pequeno, você não se preocupava se teria roupa, comida, se a conta de luz estava em dia, pois você sabia que tinha um pai.

3. Temos uma herança

Romanos 8:17 "E, se nós somos filhos, somos logo herdeiros também, herdeiros de Deus, e co-herdeiros de Cristo: se é certo que com ele padecemos, para que também com ele sejamos glorificados."

Gálatas 3:29 "E, se sois de Cristo, então sois descendência de Abraão, e herdeiros conforme a promessa."

Você já viu alguém que tem uma boa herança se preocupar com o futuro? Com estabilidade financeira?

Tudo aquilo que Deus tem nos foi dado como herança, desde a sua vida até as suas posses. Temos um Pai riquíssimo, que é auto-suficiente, conhecido como o Grande El Shadday.

Salmos 24:1 "Do Senhor é a terra e a sua plenitude, o mundo e aqueles que nele habitam."

Hebreus 9:15-17 "E por isso é Mediador de um novo testamento, para que, intervindo a morte para remissão das transgressões que havia debaixo do primeiro testamento, os chamados recebam a promessa da herança eterna.16 Porque onde há testamento, é necessário que intervenha a morte do testador. 17 Porque um testamento tem força onde houve morte; ou terá ele algum valor enquanto o testador vive?"

O melhor de tudo isso é que essa herança já está disponível para nós através da morte de Cristo na cruz do calvário. Deus morreu em Cristo por nós pois Jesus é Deus. Logo, a herança já está disponível.

Não permita mais que a ansiedade roube de você o prazer de viver.

Viva o dia de hoje, pois este é o único dia que você tem pra viver. Deixe o seu amanhã nas mãos do único que é conhecedor do futuro, Deus, o seu Pai.

Dando Glória a Deus

dandogloriaadeus

... contudo, à vista da promessa de Deus, não vacilou por incredulidade, antes foi fortalecido na fé, dando glória a Deus ...” Romanos 4:20  

É tão interessante ver como esse versículo tem sido citado tantas vezes na igreja mas poucas pessoas conseguiram compreender o verdadeiro sentido do que o apóstolo Paulo estava querendo ensinar através dessas palavras. Normalmente quando lemos esse versículo, é quase que automática a vontade de falar ou até mesmo gritar “Glória a Deus!” de certa forma, foi incutido na nossa mente que dar glória a Deus são simplesmente palavras, para outros é simplesmente um chavão.

De acordo com o dicionário Aurélio a palavra glória significa: fama adquirida por ações extraordinárias; honra. Ou seja, para que uma pessoa possa ter alguma glória é necessário que ela faça alguma coisa. Ninguém pode receber glória por algo que não fez.

Abraão deu glória a Deus exatamente quando ele se rendeu à Sua vontade e deixou com que Deus cumprisse a promessa do jeito d’Ele. Não mais tentando ter filhos com uma escrava, nem mesmo planejando colocar seu servo como herdeiro, mas simplesmente deixando Deus ser verdadeiro na sua vida.

Nós precisamos entender que quando Deus nos faz uma promessa, Ele tem todo o projeto e toda provisão preparada para o cumprimento dessa promessa. A Palavra d’Ele nunca volta vazia, antes cumpre o propósito para o qual foi designada. O Deus ao qual servimos não é homem para que minta e Ele é o único poderoso para fazer tudo muito mais abundantemente além daquilo que possamos pedir, pensar ou imaginar.

Quando alcançamos essa compreensão, paramos de tentar dar um jeitinho da promessa se cumprir, paramos de tentar ajudar Deus, ou tentar acelerar o processo. Tiramos a nossa mão e deixamos espaço pra Deus trabalhar em nosso favor.

Se Deus prometeu, Ele vai cumprir. Pode passar o tempo que for necessário, podem as circunstâncias ser as mais adversas, nada pode mudar aquilo que Deus determinou.

Lembre-se: Quando Deus disse “Haja luz”, o universo não ficou inerte diante dessa palavra, muito pelo contrário, imediatamente o universo deu um jeito de luz acontecer. Deus continua sendo o mesmo, e a Palavra d’Ele também, logo, da mesma forma que luz aconteceu no início, a promessa de Deus se cumprirá na sua vida. Basta somente você dar glória a Deus, não somente falando, mas deixando Deus fazer do jeito d’Ele, no tempo d’Ele.

Lições do nascimento de Cristo

“Mas, vindo a plenitude dos tempos, Deus enviou seu Filho, nascido de mulher, nascido debaixo de lei,” Gálatas 4.4

DEUS ENVIOU SEU FILHO AO MUNDO NO TEMPO CERTO

Algumas vezes eu já me perguntei: Porque Jesus não veio ao mundo imediatamente após Adão e Eva terem pecado? Não teria sido melhor? Ou ainda na época de Noé? Não teria poupado mais pessoas? Mas toda a Escritura nos deixa bem claro que Cristo foi enviado ao mundo no melhor tempo. Algumas vezes na minha mente parecia que Jesus havia demorado demais, afinal de contas desde que foi profetizado pela primeira vez a sua vinda, em Gênesis 3.15, passaram mais de 3 (três) mil anos de acordo com historiadores. Porém quando estudamos a história constatamos que realmente não houve nem haverá tempo melhor na história para a vinda de Jesus.

Com isso aprendemos que Deus, mesmo vivendo além do nosso tempo, Ele é especialista e precisamente pontual no nosso tempo terreno.

Do que vale então questionarmos a Deus com relação ao tempo que temos esperado pela materialização de Suas promessas? Será que não conhecemos ainda a Deus o suficiente para simplesmente crermos que Ele não se atrasa?

Em Habacuque 2.3 lemos “Pois a visão é ainda para o tempo determinado, e se apressa para o fim. Ainda que se demore, espera-o; porque certamente virá, não tardará.”

Para toda palavra de Deus existe o tempo determinado, existe o momento da plenitude dos tempos, existe a hora perfeita. Deus se apressa em cumprir sua Palavra (Sl 147.15), porém em cumpri-la no tempo certo. As vezes pensamentos que Deus está se atrasando, mas não está; o profeta deixa bem claro: se tardar espera pois virá e não tardará. Parece até mesmo uma contradição, mas não é. O apóstolo Pedro também enfatiza em sua carta: “O Senhor não retarda a sua promessa, ainda que alguns a têm por tardia; porém é longânimo para convosco, não querendo que ninguém se perca, senão que todos venham a arrepender-se.” II Pedro 3.9

As vezes os fatos nos levam a acreditar que já passou o tempo e que agora é tarde demais, mas lembre-se que NUNCA É TARDE DEMAIS PARA O DONO DO TEMPO. Nunca é tarde demais para o Deus eterno onde passado, presente e futuro são para Ele como agora.

Devemos a cada dia aprender a não envolver as promessas de Deus nos limites do nosso tempo, ou tentar interpretar o tempo determinado por Deus com a nossa mente limitada.

Você pode até saber tudo que o já aconteceu na sua vida e tudo o que está acontecendo agora, mas você não sabe o que vai acontecer amanhã, daqui a 01 ano, daqui a 10 anos ou até mesmo daqui a 01 minuto. Não há como planejarmos com perfeição sem conhecimento de futuro, tudo não vai passar de meras suposições.

Por isso a Palavra de Deus nos diz: “Bom é ter esperança, e aguardar em silêncio a salvação do Senhor.” Lamentações 3.26

Quando vier a inquietação na sua alma, quando a ansiedade bater em sua porta ou até mesmo a incredulidade, traga a sua memória as palavras do próprio Deus em Salmos 46.10: “Aquietai-vos, e sabei que eu sou Deus; sou exaltado entre as nações, sou exaltado na terra.”

DEUS ENVIOU SEU FILHO AO MUNDO PELO CAMINHO CERTO

É tão rica e surpreendente essa expressão "debaixo da lei". Quantas vezes já ouvimos pessoas dizendo algo parecido com "Deus vai fazer isso na minha vida de qualquer jeito porque Ele é Deus" ou "Deus faz o que quiser, da maneira que quiser e passa por cima de qualquer coisa pois é Soberano". Essas afirmações são erradíssimas. Nós precisamos ter um conhecimento correto do que é a Soberania de Deus. Por não conhecermos a Deus o vemos como um ditador ou como um anárquico, como aquele que governa desordenadamente, burlando ou manipulando as leis e quebrando princípios morais para estabelecer sua vontade. Esse não é o nosso Deus.

Ao ler e estudar sobre a vinda de Cristo como homem a Terra, percebemos que Deus usou somente os meios legais para estabelecer a sua SOBERANA VONTADE de prover um Salvador aos homens. Neste texto não tenho o objetivo de trazer um longo estudo sobre o assunto (isso eu deixo para o seu tempo devocional), mas somente levar cada um de nós a enxergar que, mesmo Deus tendo uma promessa para a nossa vida e  tendo o poder para fazer acontecer, Ele não cumprirá isso de forma ilegal, ou por atalhos.

A Bíblia diz que Deus é fiel. Uma das definições de fiel que eu mais gosto é: "Que cumpre aquilo a que se obriga." A Bíblia sempre nos encoraja a trilhar o caminho que Deus tem nos proposto e nunca fala de atalhos, sempre nos encorajando a perseverar nos pequenos passos, mas nunca a pular etapas. Por mais que algumas vezes parece que Deus está se movendo em nossa vida de uma forma muita rápida, perceba que Ele nunca está pegando atalhos.

Deus não atua nas ilegalidades que parecem te levar a viver uma promessa. Ele poderia ter enviando Jesus de qualquer forma, mas Ele veio pela porta: nascido de mulher. Aleluia! Já parou pra pensar no quanto isso é magnífico?! Jesus poderia ter simplesmente aparecido na terra ou descido numa nuvem, mas isso seria ilegal.

Mesmo que você não esteja vendo nada alegre-se grandemente. Mesmo sem ver, a promessa está sendo gerada em você. Algumas pessoas esperam a promessa simplesmente aparecer a sua frente, mas há um processo: ela será gerada, crescerá dia após dia e só depois se tornará visível. Para nós que cremos, uma simples semente é sinal de grande colheita. Não menospreze ou rejeite os processos da vida, eles estão te levando a plenitude da concretização da promessa.

Se existe um processo é porque existe um tempo certo. Quando você faz um bolo, existem vários processos envolvidos: separar a clara da gema do ovo, bater as claras em neve, misturar os sólidos e os líquidos separadamente, untar a forma e polvilhar, pré aquecer o forno na temperatura correta, o tempo certo da massa estar no forno entre outros. Se qualquer um desses processos for mal executado, irá interferir completamente no resultado. Você poderá até ter um bolo, porém não terá um excelente bolo.

Não interfira nos processos de Deus na sua vida. Todos eles estão sendo executados para o seu bem.

"E sabemos que todas as coisas contribuem juntamente para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que são chamados segundo o seu propósito." Romanos 8.28

Jejum, oportunidade de liberdade

Verdadeiras descobertas acontecem em momentos que você se dedica ao jejum. Por se tratar de um período onde você se abstém de coisas rotineiras, é comum que alguns detalhes da sua vida, que passavam despercebido, sejam notados. Quero compartilhar com você algo que é muito comum.

Você começa a perceber que algumas coisas que pareciam não ser tão significativas em seu dia a dia fazem grande diferença. Existem coisas que são praticadas no dia a dia que, por se tornarem tão automáticas, são imperceptíveis.

Você pode descobrir vícios em sua vida. Sabe-se que é um vício quando não é mais apenas uma questão de valorização, é uma questão de dependência. Lembro-me muito bem da primeira vez que fiz um jejum e neste tirei do meu dia a dia a Coca-Cola. Esse foi um dos propósitos mais difíceis que eu já fiz. Eu pensava que apenas gostava muito de Coca-cola mas, quando me vi sem poder beber, descobri que era viciado. Tive crises de mal humor, desespero, sentia mal estar quando fazia uma refeição sem bebê-la e em alguns momentos me senti como alguém que estava tentando se desintoxicar de uma droga. Houve um dia que comecei a gritar e a pedir “Alguém me dá uma Coca-cola?!” Nesse dia “minha ficha caiu” e eu percebi que só podia ser um vício. Graças a Deus consegui completar o meu propósito e ficar livre do vício.

Talvez Deus esteja usando este momento de consagração para te mostrar vícios que existem em sua vida. Não pense que só pode receber o título de viciado quem vive dependente de álcool, cigarro ou outras drogas ilícitas. Tudo o que você não consegue dizer não é um vício na sua vida. Pode ser chocolate, refrigerante, jogos, programas de televisão e outros mais.

 Para a liberdade foi que Cristo nos libertou. Permanecei, pois, firmes e não vos submetais, de novo, a jugo de escravidão.

Gálatas 5.1

Deus te chamou para a liberdade. Tudo aquilo que coloca você em uma posição de dependência é uma prisão que existe na sua vida. Fomos chamados para depender de um só, e este é Deus. Ser dependente de Deus, é ser livre de tudo aquilo que pode arruinar a sua vida. É se apegar a vida abundante que Cristo conquistou para todos na cruz do calvário.

 Acaso, não sabeis que o vosso corpo é santuário do Espírito Santo, que está em vós, o qual tendes da parte de Deus, e que não sois de vós mesmos?

1Coríntios 6:19

O seu corpo é templo do Espírito Santo, não seja você o destruidor dele. Vícios destroem o corpo, pois levam a pessoa a possuir algo em excesso, e tudo que é exagerado prejudica. Deus te quer saudável, cheio de vida e vigor, mas você colherá as consequências das atitudes erradas que tem cometido em relação ao seu corpo. Vejo muitos cristãos questionando a Deus o motivo de ter permitido que a doença chegasse. Na maioria das vezes, a doença é apenas consequência de ignorar o cuidado com o corpo.

Deixe o Espírito Santo trazer luz na sua vida durante esse período de consagração até mesmo nessa área. Peça a Deus que te mostre quais vícios existem em sua vida e caminhe com Ele em diração a libertação e mudança. Jejuar não é apenas se abster, é uma oportunidade de transformação.

Viva Cristo,

Léo Capochim

contato@leocapochim.com

JEJUM - Consagração, não apenas abstinência

JEJUM - Consagração, não apenas abstinência 20121203-233615.jpg

É bom relembrar alguns alertas e dicas para esse tempo tão precioso de jejum. Neste propósito, decidi escrever esta série de textos com alguns alertas e dicas. Estamos vivendo um tempo de consagração aqui na Igreja Batista da Lagoinha. Toda a igreja está inserida em um propósito de 40 dias de consagração e jejum. Durante esses 40 dias vamos nos abster de 10 itens do nosso dia a dia. Saiba mais sobre este propósito no portal da Igreja através do link http://www.lagoinha.com/ibl-noticia/lagoinha-reserva-40-dias-de-jejum-e-oracao/ . Acompanhe e seja edificado!

O jejum não é uma disciplina cristã que deve ser praticada isoladamente. Uma vez que um dos principais propósitos do jejum é a consagração (separação), ele deve ser permeado com algumas práticas. Todas as vezes que vemos a prática do jejum nas Escrituras, há um complemento a ele, está sempre seguido de algo. Isso nos ensina que a abstinência por si só não cumpre o propósito. É como uma pessoa que deseja iniciar uma rotina de vida mais saudável. Não é necessário ela apenas se abster daquilo que é prejudicial, ela precisa também adquirir hábitos mais saudáveis. Consagração é este tempo onde simultâneamente você se abstêm de certas coisas e abraça outras que o levarão a conhecer mais o Senhor.

1. Leia a Bíblia É na Bíblia que temos acesso a mente de Deus, toda a vontade de Deus para a sua vida está registrada na Biblia, ela é a palavra de Deus. Separe momentos para ler e meditar em textos bíblicos que falam a respeito do propósito do seu jejum. Esses momentos podem ser no período que você já está acostumado a ler a bíblia, entretanto, seria muito mais proveitoso se você fizesse essa leitura além do seu período devocional diário. Muitas das respostas que buscamos de Deus já estão escritas na Biblia. São nesses momentos de leitura e meditação na Palavra que respostas, orientações, conselhos e direções chegam. Nosso entendimento, muitas vezes obscurecido pelas pressões e ansiedades da vida, é iluminado pela luz da Palavra de Deus. É bom buscar textos que você ainda não conhece, e melhor ainda é trazer a memória textos que o Espírito Santo já falou em algum momento ao seu coração. A leitura da Bíblia também o ajudará a manter vivo em sua mente que este tempo de jejum não é uma dieta, mas um período de consagração para um propósito específico.

2. Ore A oração é vital. Em períodos bíblicos de convocação ao jejum a oração está presente. Orar é ter relacionamento e intimidade com Deus. É um dialogo entre o Pai e seus filhos. É na oração que você pode mergulhar em Deus e, ao mesmo tempo, ser cheio dEle. A consagração deve levar a uma intimidade maior com Deus. Assim como na leitura da Bíblia, reserve um tempo para orar pelo motivo do seu jejum além do seu tempo normal de oração.

3. Profetize Filtre de forma ainda mais diligente durante esses dias as suas palavras. Ao invés de ficar relatando a sua situação, em todo o tempo declare aquilo que você sabe que é a vontade de Deus. Em suas palavras há poder de vida ou morte, como está escrito no livro de provérbios. Muitas pessoas anulam sua consagração através das palavras que liberam. Declare a Palavra, pois declarar a Palavra de Deus é também profetizar. Profetizar é falar por inspiração divina. Não é nenhum "bicho de sete cabeças" nem uma coisa extremamente extraordinária como alguns insistem em afirmar.

Que este tempo de consagração te leve a viver cada dia mais íntimo do seu Pai Celestial. É um tempo de consagração, de se tornar mais sensível a voz do Espirito Santo e mergulhar na intimidade do Senhor.

Viva Cristo, Leo Capochim www.leocapochim.com

Invalidando o poder da oração

A falta de atitudes condizentes com a oração invalidam o poder liberado nela. Muitas pessoas acham que a oração funciona como uma varinha de condão: basta apenas eu falar as palavras certas que tudo irá acontecer. A oração não é uma questão de falar as palavras certas mas sim de ter a atitude correta. Vejo pessoas que oram constantemente pedindo a Deus que os livre de alguns erros porém sempre estão procurando desesperadamente uma nova oportunidade de errar. Existem aqueles também que oram constantemente por cura em uma área especifica, porém, não cuidam de sua saúde. São relaxados com sua alimentação e manutenção do corpo e ainda acham ruim quando não vêem resultados da oração. Outros dobram os seus joelhos declarando a Deus que estão deixando cada situação difícil de sua vida nas mãos de Deus para que Ele opere do jeito que for melhor, mas já se levantam planejando uma forma deles mesmo resolverem mais rápido seus problemas. Existem atitudes que precisam seguir a toda oração que fazemos, não para nos tornar merecedores da resposta da oração, mas para que não sejamos um recipiente furado das bênçãos divinas. Quanto mais oração, mais atitude coerente com a oração feita.

por Leo Capochim