blog

um site para edificação em amor.

Insatisfação Frutífera

“irmãos, quanto a mim, não julgo que o haja alcançado; mas uma coisa faço, e é que, esquecendo-me das coisas que para trás ficam e avançando para as que estão diante de mim.” (Filipenses 3.13.)

Uma das afrmações mais fascinantes de Paulo para mim é essa. Principalmente quando paro para analisar a vida dele. Paulo foi um homem que não mediu esforços para agradar a Deus, ele é um exemplo a ser seguido, se deixou ser transformado à imagem de cristo de tal forma que ele mesmo em suas cartas escreve: “Sejam meus imitadores assim como eu sou de cristo” (1co 11.1), ou seja, as pessoas ao olharem para ele, para sua vida, atitudes, podiam ver ou reconhecer cristo. E, mesmo diante de uma vida tão piedosa ele diz :“Quanto a mim, não julgo que o haja alcançado.” É impressionante! (Bom, no meu ponto de vista, ele pode até não ter alcançado, mas estava bem perto de alcançar.)

Lendo esse texto me pego pensando nas vezes que nós também nos sentimos assim. Sabemos que já crescemos um pouco mais espiritualmente, amadurecemos, desenvolvemos um pouco mais, estamos cumprindo aquilo que Deus nos chamou para fazer. Mas, ao mesmo tempo sabemos que não é o sufciente, ou melhor, sabemos que ainda não alcançamos. Isso acaba gerando em nosso coração um sentimento de insatisfação. Nunca se sinta culpado ou desanimado por este sentimento. Creio que o próprio Deus gera isto no nosso coração.

Deu um nó na cabeça? Explico melhor:

A satisfação pode ser um dos nossos maiores inimigos.

Se um dia entendermos que não existe mais nada a ser alcançado, paramos. Todo ser humano tem uma necessidade vital de trabalhar. O ócio pode matar uma pessoa, talvez não o corpo, mas a sua alma. Um sentimento terrível de inutilidade invade o coração da pessoa (um flme que ilustra muito bem isso é “Náufrago”). Se perdermos a necessidade de crescer, estagnamos. Algo que eu e você precisamos aprender é que em Deus nosso crescimento não tem limites. Se tivéssemos 900 anos de vida na Terra, viveríamos todo esse tempo crescendo, conhecendo e alcançando coisas novas. Deus não colocou limites para o nosso crescimento! Aleluia!

Fico perplexo ao ler Isaías 54.2: “Alarga o espaço da tua tenda; estenda-se o toldo da tua habitação, e não o impeças;alonga as tuas cordas e firma bem as tuas estacas.” Deus está falando a uma mulher estéril: Amplia o lugar da tua tenda, alarga, frma bem as estacas, em nenhum momento vemos Ele delimitando o lugar. Deus disse a Josué que onde ele colocasse a planta de seus pés seria dele. Claro que Deus sabia até onde Josué e o povo conseguiriam chegar, mas a promessa é ilimitada. Por mais longe que você tenha chegado sempre existe um lugar além. Entendo ESTACAS como os nossos planos, até onde conseguimos enxergar, até o ponto que conseguimos ouvir de Deus, os nossos projetos (não falo nossos como projetos egoístas, pois creio que isso você já não quer mais, mas falo como os nossos projetos baseados naquilo que Deus nos falou). Mas preste atenção no detalhe do verso 3: “Porque transbordarás para a direita e para a esquerda; a tua posteridade possuirá as nações e fará que se povoem as cidades assoladas.” Firme as estacas e tenha a expectativa que Deus vai além dos limites, ele vai fazer transbordar.

Creia nisso: por mais alto que possamos pensar ou planejar, ninguém pensa mais alto do que Deus.